Jornalistas conhecem obras que vão mudar a cara de São Luís

O Governo do Maranhão apresentou para a imprensa, nesta terça-feira (14), um conjunto de obras realizadas pela administração pública estadual em São Luís e que serão entregues este ano.

Os secretários de Estado de Comunicação Social e Assuntos Políticos, Rodrigo Lago, de Governo, Antônio Nunes, de Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Jr., e o presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), Lawrence Melo, mostraram o andamento das obras do Edifício João Goulart, no Centro Histórico; do Residencial Jomar Moraes, no Sítio Piranhenga; e da duplicação da Avenida Litorânea. Juntas, as obras representam investimentos de R$ 180 milhões na capital maranhense.

O titular da Secap, Rodrigo Lago, disse ser “muito importante que a população possa ver concretamente como estão sendo aplicados os recursos e a finalidade dessas obras tão importantes para a Ilha de São Luís”.

“Nós temos um amplo conjunto de obras na capital, mas estas que estamos apresentando hoje mostram a relevância das ações em São Luís. Todas serão entregues neste ano, algumas delas no primeiro semestre. É muito importante dar transparência à população, mostrando como estamos fazendo, quais os ganhos para a população e a nossa responsabilidade com o uso dos recursos públicos”, detalhou o secretário de Cidades, Rubens. Jr.

Edifício João Goulart

Parte interna do Edifício João Goulart (Handson Chagas)

Abandonado há mais de duas décadas, o Edifício João Goulart, no coração do Centro, deve ser entregue completamente restaurado em até dois meses. A edificação abrigará as Secretarias de Estado de Governo (Segov), de Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap), a Vice-Governadoria, a Casa Civil e o Gabinete Militar.

O imóvel, construído em 1957, está localizado na Avenida Dom Pedro II, próximo ao Palácio dos Leões. Ele tem pouco mais de 6 mil m² de construção, sendo dois subsolos, térreo e 10 andares.

Por muitos anos, o edifício abrigou a sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), mas há mais de 20 anos encontra-se desocupado. Sob o domínio do INSS, o prédio passou por três tentativas frustradas de reforma, até que no final de 2016 o Governo do Estado assumiu a propriedade do imóvel e se propôs a resgatá-lo.

O secretário de Governo, Antônio Nunes, explicou o formato de parceria que garantiu a execução da obra. “O João Goulart tem um diferencial porque é o primeiro modelo de sucesso de Parceria Público Privada (PPP) feita no Estado do Maranhão. Nesse caso, especificamente, o prédio voltará a ser do Estado. Além disso, as secretarias e órgãos que hoje pagam aluguel deixarão de efetuar esse tipo de despesa”.

Antônio Nunes também destacou o simbolismo social da obra. “Este prédio era ocupado por moradores de rua. Todos eles foram inseridos no programa de aluguel social, cadastrados no Sine e um deles passou a trabalhar na obra de recuperação do edifício e deve ser recrutado para obras futuras. Isso mostra o simbolismo social desse empreendimento”.

Além da recuperação, o Edifício João Goulart receberá um auditório com 140 lugares, além de um memorial e um busto em homenagem ao presidente da República que dá nome à edificação.

Residencial Jomar Moraes

Residencial Jomar Moraes (Handson Chagas)

Durante a visita ao Residencial Jomar Moraes, no Sítio Piranhenga, o secretário de Estado de Cidades, Rubens Jr., mostrou o impacto social dos 1.104 apartamentos que serão entregues para famílias de São Luís que viviam em condições precárias nos bairros da Liberdade, Camboa e no entorno da Avenida Jackson Lago.

“Esta parceria entre o Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, e contrapartidas do Governo do Estado mostra como a união é importante para melhorar a vida da população. Além de instalações adequadas, todos os blocos possuem espaço de convivência com área de lazer e centro comunitário”, disse.

O residencial deve ser entregue no primeiro semestre. Estão sendo investidos R$ 80 milhões na obra.

Extensão da Litorânea

Obras de extensão da Litorânea (Handson Chagas)

Planejada para ser uma obra que une novo modelo de mobilidade urbana, paisagismo e incentivo ao turismo, a primeira parte do prolongamento da Avenida Litorânea será entregue ainda em 2019. Segundo o presidente da MOB, Lawrence Melo, a obra encurtará em mais de 40 minutos a viagem de passageiros de municípios da Grande Ilha que usam transporte público no deslocamento até São Luís.

“O transporte tipo BRT vai interligar os municípios da Região Metropolitana e melhorar a circulação do transporte coletivo metropolitano, com dois Terminais de Integração. Isso significa que nós desafogaremos avenidas como a Jerônimo de Albuquerque, permitindo a utilização do transporte rápido por milhares de usuários, desafogando o trânsito”, explicou.

A previsão da MOB é que todas as etapas para instalação do novo sistema sejam concluídas até outubro de 2020. Para o presidente da MOB, a economia de tempo é um dos grandes ganhos do novo tipo de transporte a ser implantado.

Obras em todo lugar

Ao todo, o Governo do Maranhão soma R$ 4,7 bilhões para realização de obras e ações em São Luís. Os investimentos estão concentrados em obras estruturantes como a construção de moradias, Hospital da Ilha, PAC São Francisco, Parque Rangedor, Ponte Pátio Norte, além de programas sociais e ações de incentivo a geração de renda.

Secretários recebem a imprensa para a apresentação (Karlos Geromy)

Deixe uma resposta