Governo pede ajuda das Forças Armadas para combater queimadas no Maranhão

O governo do Maranhão informou no início tarde desta segunda-feira (26) que pediu a adesão do estado no decreto presidencial de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que prevê o uso das Forças Armadas em ações contra as queimadas e desmatamentos ilegais em estados que fazem parte da Amazônia Legal.

A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Assuntos Políticos (Secap). De acordo com o estado, o governo federal já havia oferecido ajuda para combater os incêndios por meio da parceria com as Forças Armadas. No sábado (24), o Corpo de Bombeiros se reuniu com o Exército para troca de ‘experiências, visando a realização de ações conjuntas em combate às queimadas’.

Corpo de Bombeiros se reuniu com o Exército no último sábado (24) para a 'troca de experiências' — Foto: Handson Chagas/Divulgação/Secap
Corpo de Bombeiros se reuniu com o Exército no último sábado (24) para a ‘troca de experiências’ — Foto: Handson Chagas/Divulgação/Secap

O Maranhão foi o último estado da Amazônia Legal a aderir ao decreto. Amapá, Acre, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Tocantins e Roraima já haviam pedido ajuda ao governo federal. Um centro de operações foi instalado no Pará para monitorar as ações de combate. E em Rondônia, aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) são usados no combate aos focos.

Ao G1, o Corpo de Bombeiros do Maranhão (CBMMA) havia informado que a situação do estado em relação as queimadas era ‘confortável’ em relação aos outros estados da Amazônia Legal. De acordo com o órgão, o Maranhão, até o momento, apresenta a menor média de focos de incêndios no mês de agosto nos últimos cinco anos.

O decreto que autoriza o uso do Exército no combate as queimadas na Amazônia, foi assinado na última sexta-feira (23) pelo presidente Jair Bolsonaro. A medida foi tomada após uma série de críticas no Brasil e no exterior. Segundo o documento, as tropas serão usadas até o dia 24 de setembro.

Queimadas em 2019 — Foto: Arte G1
Queimadas em 2019 — Foto: Arte G1

Queimadas no Maranhão

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), o Maranhão já registrou 5289 mil queimadas em 2019. Segundo o INPE, o número de queimadas registradas em todo o Brasil nos últimos oito meses do ano é o maior em sete anos.

Somente de janeiro a julho deste ano, o Maranhão já registou 6656 focos de incêndio. Segundo a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) a região amazônica maranhense é uma das mais afetadas, tendo registrado 539 focos, o que corresponde a 8,1% do território.

Segundo a Sema, o cerrado é o bioma mais afetado por conta das queimadas, com o registro de 6072 focos, o que equivale a 91,2% dos casos contabilizados este ano no estado. O município de Mirador no leste maranhense, é a cidade mais afetada por conta das queimadas, tendo registrado mais de mil focos.

Mapa das queimadas no Maranhão de janeiro a julho de 2019 — Foto: Divulgação/Secretaria de Meio Ambiente
Mapa das queimadas no Maranhão de janeiro a julho de 2019 — Foto: Divulgação/Secretaria de Meio Ambiente

Deixe uma resposta